Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

 

RL

 

Ricardo Leonel é um jovem de 20 anos que ingressou no movimento escutista com apenas 13 anos por incentivo de um amigo. Actualmente, Ricardo faz parte do agrupamento 326, localizado na Centralidade do Kilamba.

O jovem carrega no pescoço o lenço de cor vermelho e branco que é atribuído aos caminheiros.

O escutismo é um movimento educacional que tem como missão contribuir na formação dos jovens. E para ajudar na divulgação do movimento, Ricardo decidiu criar um canal na rede social YouTube com o nome Scout 4Ever, onde partilha com os internautas vídeos sobre as actividades realizadas pelo movimento.

O Blog Generalizado conversou com Ricardo Leonel, para saber mais sobre este projecto:

Blog Generalizado(B.G)- Fala-nos um pouco sobre o projecto “Scout 4ever”?

Ricardo Leonel(R.L)- A princípio criei este projecto a pensar nas pessoas que têm opiniões contrárias acerca do escutismo. Mas depois de algum tempo, eu notei que poderia levar as coisas mais a sério, onde muita gente poderia aprender comigo desde escuteiros e não só.

B.G- Qual é o objectivo do teu projecto?

R.L- Hoje em dia presenciamos muitas pessoas a criarem as suas próprias ideias sobre o escutismo mesmo não fazendo parte dele. O meu objectivo é fazer perceber a estas pessoas que o escutismo não é aquilo que muitos pensam. O escutismo vai muito além daquilo que é a percepção.

 

RL

 

B.G- Quem o levou para o escutismo?

R.L- Quem levou-me a conhecer o escutismo foi um jovem que na altura era caminheiro do agrupamento 181. Ele frequentava a minha casa e a igreja era próximo de casa.

 Ele convidou-me porque notou que eu já havia demonstrado algum interesse pelo escutismo. Eu via sempre os escuteiros próximo a minha casa, e daí fui conhecendo um ao outro e fui familiarizando-me.

B.G- Que significado tem o escutismo em sua vida?

R.L- O escutismo para mim é a vida. Mas penso que a melhor forma de descrever é dizer que o escutismo é um estilo de vida. Ele obriga-nos a desenvolver muitas competências em diversas áreas, que acabam por nos ser úteis em nossas vidas.

B.G- O que pretendes mudar no escutismo?

R.L- O escutismo foi fundado em 1907 por Baden Powell, e de lá para cá muita coisa mudou. Existe uma série de coisas que eu pretendo mudar no escutismo, especialmente em Angola.

Uma coisa que não devia se implementar no escutismo são as suspensões, porque isto desmotiva o escuteiro. E o escutismo em Angola é uma cópia barata do escutismo Português.

B.G- Como consegues conciliar as actividades escutistas com a vida académica?

R.L- As actividades escutistas são realizadas aos Sábados, e no período de férias. Sendo assim, não existe tanta dificuldade em conciliar as duas actividades.

Existe uma reunião em que nós participamos durante a semana laboral, mas estas reuniões são marcadas pensando no período académico,

B.G- Qual é o conselho que deixas para aquelas pessoas que queiram fazer parte do movimento escutista?

R.L-  A maior parte das pessoas que entram no escutismo é  por influência de alguns amigos e  dos pais, ou  talvez, porque viram um escuteiro na rua e se apaixonaram pelo movimento.  Existem pessoas que querem entrar no escutismo e só não entram porque os escuteiros têm aquela fama de andar muito.

Se estas pessoas tivessem inseridas no seio escutista, talvez entenderiam porque que os escuteiros andam.

Eu convido todos a fazer parte dessa grande fraternidade mundial, aqui encontrarão coisas boas e conhecerão novas pessoas. E sem medo de errar, é no escutismo onde podemos encontrar os nossos verdadeiros amigos.

No escutismo serás amigo de todos independentemente da classe social aparência física, etc.

“No escutismo somos todos iguais e irmãos”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:11



Mais sobre mim

foto do autor


Contactos:

Email: Pauloafonsoneto@sapo.ao


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.