Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 Todo mundo feliz, lindo(a), maravilhoso(a), atraente, toda gente viaja na classe executiva, frequenta os lugares mais badalados da cidade, tem um IPhone, é amigo de famosos, come das melhores comidas, lê dos melhores livros... Enfim assim é o mundo virtual.

Quem nunca teve uma decepção em um encontro com alguém que conheceram-se nas redes sociais? O que as pessoas têm que entender é que o mundo virtual não iguala-se em nenhum sentido ao mundo real. Não posso ser adepto ou viver em um mundo em que tudo é bom, as pessoas são todos seus amigos e que fazem quase tudo para atingirem a popularidade 'virtual'. 

O meu principal objectivo com este artigo não é criticar as redes sociais e muito menos os seus utilizadores, até porque sou um grande utilizador, tenho conta em todas as redes sociais mundialmente conhecidas. Para vocês terem uma ideia, não utilizo o meu nome 'real' na maioria das redes sociais[mundo virtual] em que faço parte.

- Como vai a sua vida?

-A minha vida real está uma seca, mas a minha vida virtual está indo bem, estou em Dubai, tenho o melhor emprego do mundo e a mulher mais linda.

6 horas da manhã mas já há pessoas super lindas e casas bem arrumadas no Instagram e eu aqui com cara de sono e com a casa desarrumada, Uauu!

Nas redes sociais toda gente tem o lindo hábito de leitura e lêem os livros mais caros, do tipo '50 tons de Cinza' de E. L. James. Na vida virtual conhece Brasil, EUA, Canadá mas na vida real nem sequer conhece Benguela(Angola). No facebook[vida virtual] fala e considera vários famosos 'best friend' mas na vida real eles[famosos] nem sequer sabem que você existe. Mas são seus melhores amigos no facebook(Ué a isto chamamos de ironia dos mundos). Meu amigo/a Cai na real!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:59

Yuri da Cunha não gostou nada da brincadeira.

 

IMG-20150705-WA0002.jpg

 (Foto: Divulgação/VianaTV)

 O cantor angolano Yuri da Cunha usou recentemente a sua conta oficial na rede social instagram,  para rebater uma piada de "mal gosto" criada por uma conta na mesma rede social.

 

"As vezes me pergunto, se eu é que estou errado neste mundo de hipócritas ou os hipócritas ganharam o mundo que me deixam na posição zero.

Vejo gente baixa mais baixa do que o nível de sub-solo com vontade de aparecer a custa de quem trabalha. E fazem tudo ou pouco mais do que o seu conhecimento só pra ter um momento pobre de fama.

Como é que alguém que teve tempo de procurar erro no seu irmão africano não foi capaz de notar que o americano é o que publicita esta marca e propriamente esta camisa de HOMEM, e que as mulheres também usam e é uni-sexo.

Mas p#rra a m#rda da fama sem fazer nada tomou conta das mentes desocupadas que o mundo vai se perdendo e os valores vão invertendo. Mas eu entendo. Antes pensava que eram só os angolanos mas agora vi que o africano ou seja uma maioria desocupada , prefere se ocupar em destruir o irmão ao invés de construir sua própria vida. Aproveitem e tenham alguns momentos de fama a minha custa. Foi por isso que DEUS criou os "PARASITAS"

Sei que muitos do bem vão dizer YURI não liga isso, mas eu só quero fazer entender que esta gente só tem um nome " P A R A S I T AS "  YC. Escreveu o cantor na publicação.

 

capture-20150706-121124.png

 

 Tudo começou quando uma página decidiu fazer piada com uma camisa do Yuri da Cunha em uma fotomontagem onde aparece uma modelo com a mesma camisa e "ironizando" o facto de o cantor estar usando a camisa para mulheres que na verdade é uni-sex.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:18


Saiba para quê servem as hastags

por Paulo Afonso, em 18.06.15

Já faz um bom tempo desde que o Facebook introduziu as hashtags na sua plataforma. Posto isto, há uma pergunta que se impõe: o que são e para que servem as hashtags?

Em primeiro lugar, uma hashtag não é nada mais nada menos que uma etiqueta. Tal como as que são utilizadas no YouTube, nos blogs, no Twitter e o no Instagram através de uma codificação manual em texto.

Resumidamente é uma maneira de catalogar mensagens por temática e facilmente organizar a informação.  O Facebook decidiu aderir a tendência de outras redes e implementar também esta funcionalidade. Quem está familiarizado com o Twitter ou o Instagram, há muito se habituou a ver algumas palavras precedidas do símbolo # (em português: cardinal; ou em inglês: hash). Quem viu este tipo de codificação deve ter notado que estas palavras surgem como hiperligações. Ao clicarmos nessas ligações somos enviados para uma listagem onde podemos ver outras publicações que utilizaram a mesma hashtag.

No Facebook é exactamente igual. Ao clicarmos na palavra hiperligada é nos mostrada uma listagem de mensagens publicadas por perfis e páginas onde determinada hastag foi usada. Assim, é possível acompanhar em tempo real as conversas/mensagens que estão a ser publicadas sobre uma mesma temática. É possível ainda identificar as tendências do momento ou agentes de interesse que devemos seguir. É uma ferramenta útil para quem está a gerir a presença de uma marca nas redes sociais e tomar contacto com outras visões sobre o tema e, também, passar a aparecer nestas listagens e deste modo amplificar o alcance das suas publicações.  

Agora que já está explicado o significado de hashtag e para que serve, passamos agora à questão seguinte: como é que eu sei quais as hashtags a utilizar? Ora bem, a resposta a esta pergunta é simples: A utilização de uma hastag deve ter a ver com a temática que estamos a abordar na nossa mensagem. Por exemplo: se eu estou a publicar uma mensagem onde falo dos meios de comunicação social, as hashtags mais indicadas serão #ComunicaçãoSocial e #BlogGeneralizado. Já a hastag #Soyo não faria qualquer sentido apesar de eu lá ter nascido e gostar muito desta cidade. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27


Mais sobre mim

foto do autor


Contactos:

Email: Pauloafonsoneto@sapo.ao

Posts mais comentados


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.